Para conter avanço da Covid-19, Ubatuba estuda adiar eventos e exigência de comprovante de vacina

O Comitê de Gerenciamento de Crise frente à Covid-19 em Ubatuba se reuniu na manhã desta quinta-feira, 13, para analisar os dados da pandemia no município e discutir medidas mais energéticas para conter o avanço da doença na cidade.

O aumento no número de novos casos confirmados, embora já esperado por conta das festas de fim de ano, tem preocupado a Secretaria Municipal de Saúde e exigido ações conjuntas entre várias secretarias. Durante a reunião, diversas ações de prevenção da Covid-19 foram propostas e serão analisadas pela municipalidade, entre elas o adiamento de eventos e a exigência de comprovação de vacina.

O grupo de enfrentamento reforçou a necessidade da colaboração de comerciantes da cidade em manter o distanciamento adequado, principalmente em bares e restaurantes, bem como o apoio da população em concluir o esquema vacinal e seguir de forma correta as exigências do uso de máscara cobrindo o nariz e a boca e a higienização constante das mãos com álcool em gel.

Durante o encontro, as equipes de saúde apresentaram os números de testagem da Covid no município. Entre os dias 10 e 12 de janeiro, com a abertura dos postos de saúde no período da tarde para atendimentos de síndrome gripal, foram realizados uma média de 540 testes rápidos, com cerca de 200 casos positivados. Mesmo com a expansão do vírus, foi explicado que os testes são aplicados apenas em pacientes que apresentam sintomas, conforme orientação do protocolo estadual. A região do centro de Ubatuba concentra a maioria dos testes positivos para Covid-19.

Outra preocupação do grupo refere-se aos afastamentos dos trabalhadores que podem comprometer o andamento de serviços públicos. De acordo com a secretária adjunta da Secretaria de Saúde, Tatiana Mansur, apenas devem ser afastados colaboradores sintomáticos. “Quem não estiver com sintomas pode trabalhar normalmente, fazendo uso de máscara de proteção e seguindo todos os cuidados necessários”, explicou.

Uma parceria entre a Saúde e a Secretaria de Educação também foi acordada para o início da vacinação em crianças de 5 a 11 anos, que deve começar já na próxima semana. A cidade ainda aguarda a chegada dos imunizantes para esse novo público para divulgar o fluxo de aplicação das vacinas.

Diante da expansão da Covid-19 e da urgência em adotar medidas de contenção, o Comitê de Gerenciamento de Crise já agendou um novo encontro, quando os resultados de estudos devem sem apresentados ao grupo para definição de ações.