Anvisa recomenda suspensão da temporada de cruzeiros

Após surto de Covid-19, dois navios interromperam as atividades nesta sexta-feira

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou nesta sexta-feira (31) que o Ministério da Saúde suspenda provisoriamente a temporada de navios de cruzeiro na costa brasileira. A medida vem depois do aumento de infeções por covid-19 em embarcações nos últimos dias.

Nesta sexta-feira, o navio MSC Splendida, atracado no Porto de Santos (SP) e o navio Costa Diadema, atracado em Salvador, interromperam as atividades devido a surtos de covid-19.

Segundo a Anvisa, dados apontam que a variante Ômicron tem o potencial de se espalhar mais rapidamente do que outras variantes e que a proteção imunológica de vacinas e de casos anteriores de covid-19 pode não ser tão efetiva.

A recomendação da Anvisa também considerou que, mesmo diante da elaboração de Planos de Operacionalização para a retomada da temporada de cruzeiros no âmbito dos municípios e estados, estabelecendo as condições para assistência em saúde dos passageiros desembarcados em seus territórios e para execução local da vigilância epidemiológica ativa, na prática têm sido observadas dificuldades impostas pelos entes locais diante da necessidade de eventuais desembarques de casos positivos para covid-19 em seus territórios.

“A manifestação da agência foi pautada no princípio da precaução, ao priorizar o impedimento da ocorrência de agravo à saúde pela adoção das medidas necessárias à sua proteção”, disse em nota a Anvisa.

A agência ressalta, porém, que a recomendação não afeta ainda as operações de navios de cruzeiro. “Até decisão final do grupo de ministros, as operações seguem, como regra geral, autorizadas, submetidas às regras sanitárias vigentes”, diz a nota, referindo-se à necessidade de uma decisão dos ministérios da Saúde, da Justiça e Segurança Pública e da Infraestrutura para a recomendação entrar em vigor.

Navios interromperam atividades

A Anvisa determinou a interrupção das atividades do navio Costa Diadema, fundeado em Salvador (BA), após autoridades sanitárias da Bahia identificarem um surto de Covid-19 na embarcação, com 68 contaminados, sendo 56 são tripulantes e 12 passageiros. Com isso, o navio deve retornar para o Porto de Santos, onde os passageiros devem desembarcar o a embarcação ficará em quarentena, não podendo operar novamente.

A empresa MSC Cruzeiros, proprietária do MSC Splendida, comunicou no dia 31, o cancelamento das atividades do navio, que estava no Porto de Santos, desde dia 29, após agentes da Anvisa e Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina identificarem 51 tripulantes e 27 passageiros com covid-19. Um total de 132 pessoas desembarcaram em veículos específicos, para dar continuidade em terra, ao isolamento determinado pelas autoridades sanitárias.

Medida afetaria Ilhabela

Ilhabela é um dos principais portos de escalas de cruzeiros marítimos do Brasil, e a temporada de receptivos é bastante aguardada no Arquipélago, pois aquece economia da cidade de maneira significativa.

Após o anúncio da liberação dos cruzeiros pelo Ministério do Turismo, a Prefeitura de Ilhabela iniciou tratativas junto às agências de viagem, que confirmaram 36 escalas para a cidade nessa temporada, que vai até 12 de abril 2022.

Estima-se que 4 mil pessoas podem passar por Ilhabela, injetando cerca de R$ 81 milhões na economia local, por esta razão, a cidade se preparou com atividades para os receptivos, através do retorno dos eventos culturais, esportivos e turísticos, além de cursos de qualificação profissional para este nicho para a população.

Os protocolos de segurança sanitários contra a Covid-19 seguem rígidos e efetivos, exigindo que os tripulantes apresentem antes do embarque o Passaporte de Vacinação com duas doses, teste RT-PCR negativo e teste de antígeno. Durante a viagem, parte dos passageiros e dos funcionários são testados diariamente para controle.

Ilhabela foi agraciada com o selo “Safe Travels” concedido pelo World Travel & Tourism Council (WTTC), o município se tornou ainda mais atrativo devido à segurança no combate à Covid-19.

Com informações da Agência Brasil