Instituto Argonauta e Doutor da UNESP confirmam: ferimento de banhista em Ubatuba foi causado por tubarão

O Instituto Argonauta e o Professor Doutor Otto Bismarck Fazzano Gadig, da Universidade Estadual Paulista (UNESP), confirmaram que a senhora M. R. L, 79 anos, foi alvo de ataque de tubarão enquanto se banhava no mar da Praia Grande, município de Ubatuba, no último domingo (14).

A lesão sofrida pela banhista tem extensão de aproximadamente 25 cm, e segundo o especialista, foi relativamente pouco profunda, considerando o potencial de dano do agente causador.

Após análise técnica realizada, acredita-se que o o ferimento tenha sido causado por um tubarão-tigre (Galeocerdo cuvier) ou um cabeça-chata (Carcharhinus leucas), de médio ou grande porte. A presença de ambas as espécies de predadores é comum no litoral paulista e, esses animais costumam se alimentar de peixes de médio porte nas costeiras da região.

De acordo com o Instituto Argonauta, o número de incidentes não provocados em todo o mundo cresce a um ritmo constante desde 1900, sendo que, a cada década, o número registrado é maior do que na anterior. E este fato tem a ver com o maior número de humanos habitando o planeta e frequentando as praias bem como uma melhoria no acesso e pronta veiculação da informação pela internet e redes sociais.

Segundo o Instituto Argonauta, Ubatuba não registrava nenhum incidente envolvendo banhistas e tubarões há 32 anos.

Os dois casos ocorridos neste mês em Ubatuba foram confirmados pelo renomado Doutor Otto Gadig. O primeiro foi na praia do Lamberto, localizada próximo ao Saco da Ribeira, envolvendo um turista francês no dia 3 de novembro, enquanto o caso mais recente envolvendo uma senhora de 79 anos na Praia Grande no último domingo.