Pioneirismo em compensação ambiental marca abertura da Copa Brasil de Vela em Ilhabela

Os bons ventos sopram e a sustentabilidade marca presença na abertura da Copa Brasil de Vela, que aconteceu nesta quarta-feira (13), na escola de Vela Lars Grael, em Ilhabela.

Pela primeira vez em todas as edições já realizadas, o evento irá calcular e compensar as emissões de gases do efeito estufa geradas pelo consumo de combustível fóssil das embarcações de apoio às regatas.

O prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, participou da cerimônia e destacou ações de sustentabilidade e a preocupação com o Meio Ambiente. “Ilhabela é Capital Nacional da Vela, mas para continuar sendo dessa maneira, precisamos cuidar da nossa água (mar e cachoeiras), mata e do nosso ar. Vamos investir muito na questão de coleta e tratamento de esgoto, garantindo a balneabilidade de nossas praias, uma parte essencial da nossa indústria que é o Turismo”.

Para a compensação da emissão dos gases durante o evento, serão plantadas mudas de Jussara. “No Hino de Ilhabela temos a seguinte frase: ‘tuas montanhas e palmeiras’, está faltando pelo menos um dessas palmeiras em Ilhabela, que é a palmeira de Jussara, muito utilizada para o consumo do palmito. A compensação ambiental, o carbono zero desse evento se dará com o plantio de um Bosque de Jussara. Essa será a nossa contribuição”, finalizou o secretário de Meio Ambiente, Xico Graziano.

Sobre a Copa Brasil de Vela

O evento faz parte do Plano de Alto Rendimento (PAR) da CBVela, que analisa os resultados e desempenhos dos velejadores em competições, que podem ser convocados para treinamentos e participação em outros eventos nacionais e internacionais.

Além disso, a Copa Brasil de Vela conta pontuação para as seleções do Mundial da Juventude 2021, que vai acontecer em Omã, do Pan-Americano de 2023, em Santiago, no Chile e para as Olimpíadas de 2024, em Paris.