Secretaria de Saúde de Ubatuba realiza rastreio e monitoramento de casos de Covid-19

A secretaria de Saúde de Ubatuba retomou na última quinta-feira (20), o rastreio e monitoramento de pessoas que mantiveram contato próximo com pacientes com diagnóstico suspeito ou confirmado para Covid-19 atendidos no CAE – Centro de Atendimento para Enfrentamento à Covid-19 ou na Santa Casa. Também serão rastreados casos encaminhados por outras portas de entrada, como as unidades da atenção básica e estabelecimentos da rede privada de saúde.

Esses pacientes receberão ligações telefônicas periódicas da equipe técnica da secretaria de Saúde com orientações de isolamento, avaliação de queixas e coleta de informações. Por telefone, os pacientes serão questionados sobre contato próximo com outras pessoas. São avaliadas diferentes situações: contato a menos de um metro e meio de distância, por 15 minutos, sem ambos estarem usando máscara facial ou usando de forma incorreta, e contato físico direto, seja no âmbito domiciliar ou em espaços públicos como creche, alojamento ou em eventos sociais no qual a pessoa suspeita ou confirmada para Covid-19 participou.

A atividade vinha sendo realizada desde o início da pandemia, de maneira descentralizada pelas unidades. Porém, com vistas ao aperfeiçoamento da estratégia, o fluxo de monitoramento foi atualizado e reorganizado. O assunto foi tema de reunião realizada na terça-feira, 18, no salão da Igreja São Francisco, na qual participaram agentes comunitários de saúde, profissionais do NASF-AB (Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica), Santa Casa e CAE.

“A estratégia de rastreamento de contatos é uma medida de saúde pública que busca identificar todos os contatos próximos que um caso suspeito ou confirmado de Covid-19 teve 48 horas antes do início dos seus sintomas, colocando-os em isolamento domiciliar”, explica a supervisora da Vigilância em Saúde, Patricia Sanches. Ela que acrescenta que o isolamento domiciliar dos contatos visa diminuir a propagação da Covid-19, pois os contatos próximos podem iniciar a transmissão do vírus SARS-CoV-2, mesmo que ainda estejam assintomáticos.

Para a estratégia ser mais efetiva, a recomendação das autoridades sanitárias é de que o isolamento seja realizado a partir de um caso suspeito de Covid-19. Dessa forma, é possível isolar novos casos e prevenir o surgimento de uma próxima geração de infecções. Recentemente, o município recebeu do Instituto Adolfo Lutz (IAL) a confirmação de circulação da variante P1, de Manaus, que, segundo estudos em andamento, seria mais contagiosa e capaz de gerar mais reinfecções.

“O rastreamento e monitoramento de pessoas que tiveram contato com infectados provou ser uma das formas mais eficazes de reduzir a disseminação do vírus, junto com a imunização e a garantia das medidas de higiene. Essa ação também subsidia a Vigilância para avaliação da situação da pandemia em nosso município”, explicou Sanches.

Apesar de não ser obrigatória a participação no monitoramento, a secretaria de Saúde incentiva que todas as pessoas com suspeita ou confirmação para Covid-19 contribuam nessa ação para diminuir o avanço da doença no município. A Vigilância também estuda ações para organizar o monitoramento dos casos que cheguem por outras portas de entrada como, por exemplo, as unidades de saúde e estabelecimentos da rede privada de saúde.

Até a quarta-feira, 19 de maio, Ubatuba tinha 7.202 casos confirmados de Covid-19, dos quais 107 foram a óbito. Um total de 34 pessoas com suspeita ou confirmação da doença estavam internadas, das quais 20 em UTI (18 fora de Ubatuba e 2 na Santa Casa) e 14 em enfermarias. Entre os mortos, 28 não apresentavam qualquer fator de risco. Doenças cardiovasculares e diabetes foram as principais comorbidades apresentadas pelos pacientes que foram a óbito, com, respectivamente, 43 mortos e 18 mortos.