Auxílio emergencial 2021 pode ficar para abril

Grande maioria dos beneficiados pode receber somente 150 reais

O auxílio emergencial, aguardado por milhares de brasileiros, pode ficar somente para abril, como já avia alertado o ministro Paulo Guedes, da pasta da Economia. Isso por que o presidente Jair Bolsonaro não teria encaminhado a Medida Provisória (MP) ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, como era aguardado nesta quarta-feira. Segundo a Revista Exame, a Secom comunicou que o presidente Bolsonaro entregaria pessoalmente o documento à Lira, o que não ocorreu. O governo, nos próximos dias, deve publicar a MP no Diário Oficial.

Arthur Lira afirmou, após a promulgação da Proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial, afirmou que aguarda a edição da Medida Provisória o mais breve possível, para que o pagamento do auxílio emergencial possa diminuir a angústia das pessoas necessitadas.

A PEC liberou 44 bilhões por fora do teto de gastos, para o pagamento do auxílio emergencial. A MP definirá o início dos pagamentos, seus valores e beneficiários.

O governo projeta que a população em condição de vulnerabilidade econômica receba quatro parcelas do benefício, com valores que variam entre R$150 e R$375 . Serão um total de 46 milhões de brasileiros beneficiados pelo programa. Em 2020 foram 68 milhões de brasileiros atendidos. Isso significa que cerca de 22 milhões de brasileiros ficaram sem o auxílio emergencial.

Em 2020 o auxílio emergencial pagava valores de R$ 600 para até dois membros da família e R$ 1200 para mulheres arrimo de família. Em 2021, os valores das parcelas serão bem mais modestos. Para pessoas que moram sozinhas, o valor é de R$ 150, enquanto as famílias com mais de um membro vão receber R$ 250. As mulheres com filhos irão receber R$ 375.

De acordo com Estado de São Paulo, a maior parcela dos beneficiários deve receber o valor mínimo de R$ 150, o que corresponde a aproximadamente 20 milhões de famílias enquadradas na categoria “unipessoal”, ou seja, composta por apena uma pessoa. Cerca de 16,7 milhões de famílias compostas por mais de uma pessoa vão receber R$ 250. Aproximadamente 9,3 milhões de mulheres provedoras de famílias, que vão receber as parcelas de R$ 375.

Os primeiros beneficiados serão os cidadãos escritos no CadÚnico (Cadastro Nacional para Programas Sociais do Governo Federal. Após estes, é a vez dos informais cadastrados no aplicativo da Caixa e, por fim, os inscritos no programa Bolsa Família

Da Redação

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.